Ocupação Criança

Para quem acredita no potencial infantil

By: Avisa Lá | June 01, 2017

 

Instituição
Centro de Educação Infantil Luiz Vargas

Responsável
Angelita Muller

Função ou cargo
Professora

Município e estado
Blumenau / SC

Faixa Etária Atendida
Crianças com 5 a 6 anos

Categoria
Professor 2: Passei a ouvir, observar e conhecer mais as crianças

 

O que levou a realização da prática? (diagnóstico) 

O projeto “Nossas Curiosidades Sobre a Natureza” surgiu a partir da necessidade de valorizar as curiosidades e as hipóteses apresentadas pelas crianças em roda de conversa sobre a natureza.  

“De onde vem a água”? Por meio dessa pergunta surgiram várias curiosidades. De onde vem água da chuva? Como a água chega na máquina de lavar roupa, no vaso do banheiro e no chuveiro? Como a água chega nos canos e na caixa d´água? Como a água chega ao esgoto? Onde fica a caixa d´água do CEI? A água tem cor?

A partir dessas curiosidades desenvolveu-se o Projeto. 

Antes do projeto não havia um trabalho com as crianças sobre a importância da água para nosso planeta. Elas acabavam desperdiçando água ao lavarem as mãos, após as brincadeiras no parque; ao lavarem os brinquedos; o pincel com guache; no momento da escovação dos dentes.

Descrição das intervenções que foram realizadas.

Realizamos um passeio nos espaços externos e internos do CEI, acompanhados pelo zelador que mostrou a trajetória que a água faz para chegar nas torneiras. Ele mostrou para as crianças o hidrômetro (registro ou relógio de água). Algumas já conheciam e sabiam o que era, mas não sabiam para que servia. Toda água que chega no registro passa por tratamento para ficar bem limpa, mas de onde a água limpa vem? Algumas crianças falaram que vinha da chuva, outras do rio. Mas, também existe um local que cuida e trata da água antes de chegar nas torneiras. (Estação de tratamento de água).

As crianças discutiram com o zelador a função do registro de água e sua importância para o seu controle, caso tenha um vazamento ou estoure algum cano. O relógio marca a quantidade de água consumida no mês e existe um documento chamado talão de água que as pessoas recebem para pagar a água que consumiram no mês. 

Observaram também onde ficava a caixa do esgoto do CEI e conversaram sobre como a água suja vai para o esgoto, (vaso sanitário, pia, máquina de lavar roupa, chuveiro e outros); saindo dos canos, ela passa por toda cidade até chegar na estação de tratamento de esgoto chamada de ETA. 

Por meio de vídeos as crianças puderam entender como funciona as estações do esgoto e a transformação da água suja em água limpa. Falou-se sobre a importância da limpeza e de se manter a caixa d’água bem fechada para não entrar sujeira e bichos, pois podem contaminar a água e fazer mal para a saúde. Ainda conversaram sobre como a água chega na pia da cozinha, no bebedouro, no chuveiro, na máquina de lavar roupa, na privada e na pia. 

Samuel falou: “Profe, sabe que lá em Angelina, no sitio da minha vó, não tem relógio prá água; minha vó não paga água, é de graça; ela vem do morro pelo cano, é bem limpinha”.  E Murillo falou: “Nossa, eu nunca vi um relógio da água na minha casa, vou pedir prá minha mãe me mostrar onde tem lá no meu prédio”. Melissa disse: “Eu já sabia, lá na minha casa tem um desse relógio eu já vi, minha mãe me mostrou”. Questionados sobre a questão da economia de água, Jaqueline falou: “Tem que fechar bem a torneira”. Isabelly: “Não pode jogar lixo no rio”. Helena: “Não pode ficar brincando na torneira e nem no chuveiro”. Maria Clara complementou: “Não pode ficar brincando no banheiro com água da descarga”. 

Um dia chuvoso contribuiu para descobertas sobre de onde vem a água da chuva, com o auxílio de uma sombrinha foi possível contemplar a chuva. 

As crianças utilizaram lupa e máquina fotográfica para registrar e observar os fenômenos. Através da lupa as crianças observaram as plantas molhadas pela chuva. Conversaram sobre a importância da chuva. Sem ela os rios podem secar matando todos os animais que vivem nele e também pode acabar com a nossa água da torneira, daí a importância da preservação e conservação dos rios. 

Várias foram as descobertas sobre a água; seus estados físicos: líquido, sólido e gasoso. Durante a brincadeira uma criança falou: “Esse gelo é solido e vai ficar líquido”. A professora questionou o que era sólido e líquido. Ela respondeu: “Você não sabe profe? O gelo é solido e a água é líquida”.  

Além de brincarem com gelo, elas brincaram com lama, criando desenhos nas paredes de azulejo no parque. Durante a brincadeira uma criança falou: “Eu vou fazer meu nome e pintar toda minha mão com essa água de lama”. 

Para finalizar o projeto foi montada uma exposição com trabalhos realizados pelas crianças e famílias.

Descrição dos saberes e fazeres infantis 

Ao observar a máquina de lavar roupa uma criança falou: “Essa máquina de lavar... ela tem muitos botões, a da minha mãe não tem; agora eu sei que água da máquina de lavar vem pelo cano e passa na mangueirinha”.  

A professora falou sobre o reaproveitamento da água que sai da máquina por meio de tonéis ou baldes para reutilizarem na limpeza de calçadas e carros ajudando na conservação e consumo. Uma criança sugeriu fazer isso na escola, mas como não tinha espaço suficiente, pensaram em outras estratégias, como coletar a água da chuva para lavar os brinquedos do parque e para lavar a calçada em frente da sala e, poderiam também, dar essas sugestões para suas famílias. 

Na roda de conversa uma criança falou: “Minha vó falou que a água vem da chuva, quando Jesus esta triste ele chora e chove”. Em seguida, outra criança falou: “Nada disso, a chuva vem da nuvem eu já vi no computador da minha irmã”.

Descrição dos resultados das ações

Por meio de experimentações e vivências no decorrer do projeto, as crianças puderam entender a importância da água para a vida do planeta por meio de pesquisas e informações, brincadeiras, jogos simbólicos, desenhos, pinturas e escrita, finalizando com a exposição de trabalhos realizados com as crianças e a participação das famílias.

Com elementos da natureza (pedras, madeiras, folhas, galhos, sementes, etc.) as crianças reproduziram o meio ambiente como rios e animais. Reconstruíram também como a água chega às casas e prédios, e como é utilizada no banho. No decorrer da brincadeira, faziam de conta que do chuveiro estava saindo água quentinha e não podia ficar muito tempo ligado para não gastar muita água. Ao construírem o rio para os animais argumentaram que o rio era limpo e estava cheio de água para os animais beberem. Atualmente em suas construções de casas e prédios aparecem as caixas d´água com tampa para não entrar sujeira. 

As crianças mostraram interesse em escrever novas palavras, como rio, chuveiro, água, torneira e outras, auxiliados pela mediação da professora.  As crianças participaram da confecção e escrita do cartão enviado às famílias para conscientização da importância da água para o planeta. 

No momento da higienização as crianças utilizam a caneca para escovarem os dentes, mas não deixam mais a torneira aberta e quando vão ao bebedouro procuraram colocar na caneca somente o necessário para saciar sua sede. A professora formou com as crianças o hábito de não desperdiçar água nos momentos de lavar os brinquedos do parque. 

Algumas famílias, segundo falas das crianças, adotaram em suas casas algumas sugestões indicadas pelas crianças para evitar o consumo exagerado de água. Seguem algumas falas observadas posteriores ao trabalho realizado com a água:

Luan: “Sabe, profe, que as flores se alimentam também da chuva e eu sei agora de onde vem a chuva, ela vem das nuvens; quando fica nublado aí chove e as plantas crescem e o sol é importante para chover. 

Nicolly: “A minha vó tem uma plantinha; eu coloco água nela e ela não murchou mais e ela também coloca o balde na chuva para pegar água e lavar a calçada”. 

Category: Professor 2 

Tags: