Ocupação Criança

Para quem acredita no potencial infantil

By: Avisa Lá | November 04, 2017

 

Nome da Instituição: 
EMEI Dona Maria de Lourdes Coutinho Torres

Responsável: 
Lindalva Isabel da Silva Borges
Função ou cargo que ocupa: 
Professora de EI
Município e Estado: 
São Paulo / SP
Faixa etária atendida: 
4 a 5 anos 
Categoria: 
Professor 1: Passei a ouvir, observar e conhecer mais as crianças

 

 O que levou a realização da prática? (diagnóstico) 


A partir da prática de observar as crianças, seus interesses e curiosidades, a professora valorizou a descoberta de um ninho de ovos no muro da EMEI e a dúvida das crianças – É ovo de que? 

As crianças assumiram a autoria de um processo de investigação e pesquisa, transformando seus saberes em conhecimento cientifico. 

Descrição das intervenções que foram realizadas

As experiências vivenciadas pelas crianças foram intencionalmente planejadas e propostas de forma a garantir que as interações entre elas, os materiais, os tempos e os espaços de forma muito rica.  Rodas de conversa abriram espaços para que as crianças pudessem expor suas hipóteses sobre os ovos, apresentando seus conhecimentos prévios sobre o tema. A produção de cartazes registrou suas hipóteses, o que já sabiam e o que queriam saber sobre o tema, assim como, suas novas respostas às perguntas, tendo a professora como escriba. 

As crianças munidas de lupas exploraram, recolheram material que pudessem justificar suas hipóteses, pesquisaram em várias fontes como livros, revistas, sites e vídeos da internet. Constataram que os ovos eram de lagartixas e observaram o nascimento de duas delas.

As crianças registraram suas descobertas por meio de desenhos, modelagens, instalações com diferentes materiais: papel, lápis, giz de cera, canetinha, tinta; recursos naturais  como gravetos, folhas secas, sementes. 
 

Descrição dos saberes e fazeres infantis que emergiram no trabalho desenvolvido 

As crianças, envolvidas com o tema, quiseram saber mais sobre as ‘lagartixas” e o processo de desenvolvimento de seus ovos: Quanto tempo levam para nascer? Se precisavam ser chocados pela “mamãe lagartixa”? Se eram venenosas? Do que se alimentam? etc.

Durante a investigação, ao visualizar uma poça de água na quadra, Andrei insistiu com sua hipótese: "Eu não disse que é ovo de mosquito da dengue, eu sei porque tem água parada aqui..." Procurar pistas que justifiquem sua hipótese mostra que ele traz muitos saberes sobre o mundo.

Pedro encontrou em uma folha no jardim minúsculos ovos de borboletas e compartilhou sua descoberta com a turma dizendo: “Olha só o que eu achei... ovinhos de borboletas...” A folha com ovinhos foi levada para sala para que a turma pudesse compará-la com a imagem que pesquisamos.

Ao calcularem o tempo em que as lagartixas demoraram para nascer, a partir de uma planilha, Diego se surpreendeu: “Olha professora, estes dois meses (julho e agosto) dá 62 dias... Por que eu pensei assim: trinta mais trinta fica sessenta e um mais um são dois e sessenta mais dois fica sessenta e dois”

A ideia da produção do documentário partiu das próprias crianças: “Precisamos fazer um vídeo e colocar no YouTube, professora”. Elas participaram da elaboração do roteiro, ajudaram na seleção de imagens e fizeram a narração dos textos no vídeo. 

Descrição dos resultados das ações

O vídeo publicado na página do Youtube da nossa EMEI mostra as falas e as descobertas das crianças.

As crianças tiveram a oportunidade de compartilhar seu conhecimento com a exposição de cartazes e fotos de sua vivência; a montagem de uma árvore confeccionada com caixas de papelão como telas ilustrando a camuflagem das lagartixas, além do documentário produzido pela turma. 


A avaliação do desenvolvimento de cada criança nesse projeto foi feita de forma processual a partir do acolhimento de suas vozes e saberes, na observação das manifestações de suas várias linguagens e nas interações entre elas. Os objetivos foram alcançados pois garantiu-se às crianças experiências que fizeram delas protagonistas de um processo, compartilhando seus saberes e transformando-os em conhecimentos, como, por ex., a importância e o cuidado com a biodiversidade numa relação de respeito com o meio natural.

Category: Professor 1 

Tags:

Comments:

Be the first to comment ...

Post a Comment