Ocupação Criança

Para quem acredita no potencial infantil

3ª. Mostra Ocupação Criança

Classificação das práticas

Destaque: a prática revela e valoriza as manifestações infantis em diversos momentos do cotidiano: nas falas das crianças quando brincam, conversam nas rodas, quando opinam sobre as questões cotidianas, produzem desenhos, escritas; além do reconhecimento, por parte dos gestores e professores, das expressões da singularidade infantil nas produções de artes visuais, na música, no movimento, no raciocínio.


Boas práticas: revelam e valorizam as manifestações infantis e dão espaço para elas acontecerem no cotidiano, mesmo que não se explicitem em todas em todas as expressões infantis.
Prática promissora: valoriza as expressões infantis, com seu potencial para ampliar o olhar para as manifestações infantis e possibilitar sua visibilidade.

Como nascem e se desenvolvem as ocupações das crianças nos espaços escolares?


  • Podem nascer de um pedido imediato das crianças; do interesse, da fala das crianças e da escuta do professor.
  • Podem nascer de uma observação continuada do professor, alimentada por formações, cursos, desafios dados pela coordenação, etc., a partir dos quais se faz uma proposta de trabalho contínuo, abrindo a porta para as ocupações acontecerem.
  • Podem nascer de práticas decorrentes da intervenção do professor que possibilitam uma experimentação por parte da criança pequena. 

Há práticas que pouco possibilitam as ocupações das crianças:
  • Decorrentes da intervenção do professor, possibilitam aprendizagens, mas, podem dar menos espaço para as ocupações infantis acontecerem. 
  • Podem partir do interesse das crianças, mas não dão visibilidade, sustentam ou dão condições para as manifestações infantis acontecerem. 

Confira abaixo como foi o Webinário da 3ª Mostra realizado em 23/11/2018

Desktop Site