Ocupação Criança

Para quem acredita no potencial infantil

Conheça as Boas Práticas Selecionadas na 4º Mostra!

Destaques
Entre ser coordenadora e ser professora, construir novas escutas
Entre ser coordenadora e ser professora, construir novas escutas
Viagem para África
Alfabetizar com os sentidos
Boas Práticas
Ocupação do Parque - Cantos do Brincar
Ocupação do Parque - Cantos do Brincar
Pernas ou Patas? Descobrindo o Mundo das Aranhas
Projeto Revitalização
O nome próprio no contexto de reflexões sobre o sistema de escrita na Educação infantil
Prática Promissora
Mudança de olhar para uma prática que potencialize os bebês

Conheça as Boas Práticas Selecionadas na 3ª Mostra!

Destaques

Projeto de pesquisa sobre Louva-a-Deus. Ijuí /RS
De abelhas à jerivá, pesquisa daqui, compartilha de lá. São Paulo /SP
Projeto Sensações - Descobrindo Novas Texturas. São Paulo /SP

Boas Práticas

Ampliando experiências através da natureza. Canoas/RS
O fantástico mundo das formigas. Blumenau /SC
Brincando com cores e objetos não estruturados. Esteio /RS
Cozinha de Lama e suas múltiplas possibilidades e aprendizagens! S. Bernardo do Campo/SP

Práticas Promissoras

Um novo olhar para os espaços e as experiências significativas das crianças. Curitiba /PR
Poesia popular na literatura de cordel: um relato de experiência na EI. Feira de Santana /BA
Que Bicho é Esse? Ijuí /RS

Conheça boas práticas do cotidiano das escolas!

A cada mês você encontrará uma nova prática que valoriza os saberes infantis para te inspirar!

Brincando com elementos da natureza

Nome da escola: CEI Vila Progresso
Responsável pelo projeto/ação: Rosiane Dal Bello Bezerra 
Função: Coordenadora Pedagógica
Município/Estado: São Paulo
Faixa etária atendida: crianças de 0 a 3 anos de idade

Chá Literário

 Nome da escola: Instituto PRÓ-SABER SP

Responsável pelo projeto/ação: Fernanda Renner, Márcia Félix e Lia Olival
Função: Coordenadoras Pedagógicas
Educadores envolvidos no projeto: Cristiane Mndes, Karina Alves e Patrícia Soares
Município/Estado: São Paulo - SP
Faixa etária atendida: 4 A 10 anos

Em contos (encantos) da África

Nome da escola: CEI Shangri-lá - Núcleo III - CCJA
Responsável pelo projeto / ação: José Leonardo Garcia e Karen Mariana Aguiar
Função: Professor de Educação Infantil -  Professora de Educação Infantil
Município / Estado: São Paulo - SP
Faixa etária atendida - 3 a 4 anos

Conheça as Boas Práticas Selecionadas na 2ª Mostra!

Destaque

Professor 1 - É ovo de quê? (São Paulo/SP)


"É ovo de quê?" Esse foi o questionamento das crianças que deu início ao trabalho. Nele elas assumiram a autoria de um processo de investigação, pesquisa, expressão e ampliação de saberes.
Ações planejadas garantiram a escuta e as interações das crianças: rodas de conversa sobre suas hipóteses; registro do que já sabiam e do que gostariam de saber sobre o tema; investigação e exploração da área externa da EMEI; pesquisas em diversas fontes (livros, revistas, sites e vídeos da internet); analisa de imagens de diferentes tipos de ovos até que descobriram de que eram os ovos encontrados na área externa e muitos outros saberes foram possíveis. 

Destaque

Gestão 2 - Arte de Criança: é bom ou não é? (São José do Rio Preto/SP)

Como transformar a prática de artes da escola incluindo as famílias? Essa intervenção processa uma verdadeira transformação na escola. Com um projeto formativo que nasce das necessidades dos professores e da observação da coordenadora sobre as proposições em Artes Visuais, a coordenação promove discussões relacionadas ao ensino e aprendizagem de Artes e muda a prática.
Esta é uma iniciativa valiosa por revelar a posição estratégica do coordenador pedagógico na qualificação das experiências vividas pelas crianças.

Professor 2 - Projeto Identidade (Gramado/RS)

A ação partiu de um questionamento da professora com relação ao contexto escolar no que diz respeito à “decoração dos ambientes” que não contavam com a participação infantil. Trabalhando com a identidade das crianças, personalizou os espaços a partir da ação das próprias crianças que extrapolaram a sala e invadiram os corredores da escola, refeitório e demais espaços escolhidos por eles. 

Professor 2 - Por onde passar nossas marcas vamos deixar (São Paulo/SP)

Transbordar a sala de aula com as marcas e expressões das crianças é um grande desafio. 
Esta prática valoriza as produções infantis ao expô-las nas paredes, no teto, no chão, nos brinquedos do parque, nos galhos de árvores, grades, varão de cortinas, entre outros. Pode-se observar, assim, que os saberes e fazeres das crianças se apropriaram “dos” e “nos” espaços da escola. 
Nesta ação podemos ver como a escuta das crianças e a ação do professor modifica o espaço da escola.

Boas Práticas Selecionadas na 1ª Mostra!

Gestão 1 - Pequenos Conselheiros, Grandes ideias (São Paulo/SP)



O projeto parte da escuta sensível das crianças e incentiva seu protagonismo, a partir da criação de um Conselho Mirim, composto por representantes de salas. 
Desde 2012 as crianças participam, junto com os adultos, da gestão democrática da escola e da tomada de decisões sobre assuntos de interesse da unidade escolar e do entorno. O projeto fomenta a autoria das crianças na transformação da escola em um espaço que contempla suas necessidades, atende suas sugestões e se torna mais prazerosa para todos. 

Gestão 2 -Brincadarte, aproximações entre o Brincar e a Arte na construção do currículo da Educação Infantil (São Paulo/SP)

Como transformar a escola a partir de um novo olhar para as crianças? Esta experiência demonstra que isso é possível. Valorizar a brincadeira e a arte na formação continuada dos educadores foi uma forma de dar vez e voz às crianças. Um novo olhar do professor e dos demais profissionais da escola, fez com que o brincar passasse a ser a principal atividade da Escola. E o brincar somado à arte possibilitou às crianças muita criatividade e aprendizado com autonomia e prazer. 

Professor 2 - Viagem ao Espaço. (Uruguaiana/RS)



A prática de ouvir as crianças e valorizar suas indagações levou a professora a ampliar seus saberes sobre as fases da lua e sobre o espaço.  Mas, para muito além disso, as brincadeiras, as experiências, as observações e pesquisas possibilitaram uma ampliação do faz-de-conta, dos desenhos e escritas infantis, a partir de seu protagonismo e de muita diversão. A construção da nave para viajarem ao espaço, a discussão sobre como ir, o que levar, a construção do mapa; toda essa riqueza demonstrou as potencialidades e o protagonismo infantil que acabou guiando todo o percurso. 

Professor 1 - Construções com papelão. (Barueri/SP)
Ao despertar para o valor das produções infantis, a professora passou a ver a criança como protagonista. A partir dessa mudança de visão, as crianças passaram a ser ouvidas, não apenas naquilo que verbalizavam, mas também por meio da observação de suas ações, de espaço para a externalização de suas ideias e de suas criações.
O papelão foi um dos materiais escolhidos pelas crianças que, sozinhas ou em pequenos grupos, desenvolveram projetos escultóricos. Investigavam as diferentes possibilidades do material e traziam à tona descobertas e narrativas que fizeram a riqueza dessa experiência. 

Anteriores

Professor 2 - Nossas Curiosidades sobre a Natureza (Blumenau/SC)

De onde vem a água? Como ela chega na torneira? A água tem cor? Estas foram algumas das questões que as crianças trouxeram nas rodas de conversa. E foi a partir dessas curiosidades que surgiu o projeto.Muita pesquisa, experimentação e conversas levaram as crianças a ampliar aquilo que já sabiam e a se expressar utilizando elementos da natureza (pedras, madeiras, folhas, galhos, sementes, etc.). Elas representaram a água de diversas formas por meio de maquetes, desenhos e pinturas, demonstrando como se tornam protagonistas de seu próprio aprendizado. 

Gestão 1 - Como favorecemos o protagonismo infantil
Professor 3 - Apoio a construção da autonomia em relação aos cuidados
Professor 2 - Com que roupa eu vou pra chuva?
Professor 1 - Crianças ocupam as paredes
Desktop Site